A Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC) afirma que cerca de 60% das brasileiras têm cabelos ondulados. E a maioria delas guarda em casa um chapinha para esticar os cachos. Mas não é apenas esse perfil de consumidor que utiliza o aparelho. Mulheres de cabelos lisos também usam o equipamento para modelar e definir os fios.  É por isso que as chapas, também conhecidas como pranchas, fazem sucesso há tanto tempo entre o público feminino.

Chapinha. Ela prejudica os cabelos ou não?

No ano de 2000, o uso da chapinha se popularizou bastante no País, se tornando um item indispensável nos salões de beleza e em casa. O sucesso foi tanto que a maioria dos produtos evoluiu e hoje possui tripla função: além de alisar, modelam e fazem cachos.

Oleosidade e resíduos são os verdadeiros vilões

Mesmo com tantos benefícios, algumas pessoas acreditam que a chapinha é uma vilã para a saúde dos fios. Mas isso não passa de um mito. O problema não está na chapinha e sim nos resíduos excessivos de produtos, além da oleosidade dos fios. Estes restos podem ser selados ao fio, devido ao calor, no momento do uso da chapa. Se eles forem eliminados, não há problema em usar chapinha todos os dias para fazer retoques nos cabelos ou para modelar os fios.

Para aproveitar 100% dos benefícios dessa maravilha moderna, tome os seguintes cuidados:

• Espere a chapa aquecer até a temperatura ideal, indicada em cada equipamento. Para uso doméstico, não pode ultrapassar de 180° a 200°C.
• Separe mechas pequenas, pois uma grande quantidade de fios dificulta o uso e compromete o resultado do alisamento;
• Escove os cabelos antes de usar a chapinha, principalmente se os cabelos forem cacheados ou crespos.
• Use a chapa em média duas vezes por semana, acompanhado sempre por um tratamento de hidratação.

E confira também:

Passo a passo de coloração para suavizar o tom de loiro

Aprenda a fazer a maquiagem usada por Natalie Portman no 68º Globo de Ouro