Cortes infantis ganham personalidade

Passou o tempo em que as mães escolhiam as roupas e o corte de cabelo dos filhos. Com a personalidade cada vez mais forte, as crianças estão bem exigentes e fazem questão de expor suas vontades. Na cidade de Curitiba, por exemplo, o hairstylist Paulinho Tristano, proprietário do Tristano Peluqueria, tem notado essa grande mudança no perfil das crianças e procura atender de forma diferenciada as mais variadas solicitações.

Segundo o paranaense, as crianças com idade acima dos cinco anos costumam saber muito bem o que querem e já não aceitam a opinião dos pais e, muito menos, dos profissionais. “Geralmente, elas se inspiram em algum personagem da televisão e não sossegam até que estejam com o corte semelhante”, conta o profissional.

Para o hairstylist, tudo é permitido no corte infantil desde que a criança se reconheça no espelho e saia feliz do salão. “Há alguns meses, atendemos uma cliente de quatro anos, a Sofia, que chegou até o salão com um corte médio com franja, bastante comum. Ao sentar na cadeira, ela explicou que queria mudar para um cabelo chanel assimétrico com costeletas. O corte ficou lindo e ela saiu realizada do salão. Foi o corte infantil de maior sucesso feito no Tristano”, relembra Paulinho.

Assim como no caso dos cortes em adultos, o proprietário do Tristano Peluqueria explica que os cortes infantis seguem tendências marcantes. “Atualmente, os meninos têm gostado muito do corte undercut, com as laterais do cabelo mais curtas. Já as meninas têm deixado de usar os cabelos e retos, variando os comprimentos e aderindo camadas irregulares”, detalha.

Para manter o cabelo infantil sempre saudável, o profissional sugere alguns cuidados especiais. “O cabelo das crianças tem um PH diferente do cabelo dos adultos, por esse motivo elas precisam usar produtos neutros. Além disso, por tratarmos de fios muito finos, é interessante usarmos um bom condicionador para facilitar o desembaraço e a manutenção de um cabelo saudável”, completa o especialista.

Dicas para cortes infantis

  • Optar por cortes de fácil manutenção, que não exijam da criança ou dos pais muito tempo para ser arrumado;
  • Nunca deixar o comprimento ou estilo do corte atrapalhando a visão. Deixar as franjas médias e longas de lado;
  • Respeitar o estilo e personalidade da criança, elas sabem o que querem e não podemos forçar a nossa vontade;
  • Saber deixar para depois. A criança pode ir até o salão, ficar nervosa e não querer cortar, o melhor é não forçar para não criar nela o medo de ir ao cabeleireiro.