Cabelos ondulados ou lisos? Esta é uma pergunta que grande parte das mulheres brasileiras já se fez em algum momento. Para muitas, deixá-los lisos é a realização de um sonho. Mas como fazer para não destruir os fios e ainda ficar com resultado natural?

Recorrer muitas vezes ao secador e à escova é um dos recursos mais comuns para manter a estrutura da haste capilar lisa. No entanto, o efeito é temporário. Outra atitude mais duradoura é o alisamento com substâncias químicas. Com a evolução da indústria cosmética, diferentes técnicas de alisamento capilar surgiram. E, junto com elas, muitas dúvidas permeiam os pensamentos femininos em relação ao assunto para entender o que vale a pena, o que é modismo, a frequência de realização do alisamento, os tratamentos de manutenção, entre outras incertezas.

Para manter a saúde e a beleza dos cabelos alisados, é importante conhecer os ativos dos métodos mais procurados nos salões e os cuidados para prevenir problemas. Quem dá as orientações é o cabeleireiro William Silva, do salão carioca Pedro Paulo Cabeleireiros. Um conselho vale para todas as mulheres que alisam os fios: "é fundamental criar o hábito de tratar os cabelos adequadamente em casa, após os processos de alisamento".

Portal Cabeleireiros.com: Quais os tipos de alisamentos que existem hoje?
William Silva: A indústria cosmética evoluiu para atender todos os tipos de cabelos e às suas necessidades das mulheres que desejam fios cada vez mais lisos, mas com aspecto natural e saudável. Para atender a necessidade de cada tipo de cabelo, os principais ativos conhecidos e utilizados nos salões são hidróxido de sódio, hidróxido de cálcio, lítio, guanidina, tioglicolato de amônia e tioglicolato de etalonamina. Estas substâncias químicas têm a função de desestruturar as cadeias internas dos fios, modificando a textura para um formato liso ou menos ondulado. Os produtos à base de Hidróxidos de sódio, cálcio, lítio e guanidina são indicados para cabelos étnicos, mais crespos. Já os Tioglicolatos de amônia e etalonamina são ideais para cabelos europeus, com cachos largos, volumosos e ondulados.

Portal: Como funciona cada tipo?
William: Os hidróxidos retiram as pontes de cistina, dando uma nova forma ao fio. Quando lavado após o processo de alisamento, se utiliza um shampoo indicador para verificar que não existe mais resíduo da química sobre a haste capilar. Já o tioglicolato de amonia também retira as pontes de cistina, só que com uma diferença dos hidroxidos: aqui se utiliza neutralizante após o alisamento para impedir que o ativo químico continue agindo a ponto de promover a quebra dos fios. O neutralizante religa as pontes de cistina, o que firma o novo formato do cabelo.

Portal: Qual dessas técnicas é menos prejudicial à haste capilar? Por quê?
William: Todos são seguros, desde que seja feita uma profunda análise do fio para saber qual ativo a ser usado e a força a ser aplicada. Para que não ocorra nenhum contratempo, é imprescindível fazer sempre o teste de mecha para saber se o fio resiste àquele produto e quanto tempo ele poderá ficar sobre o fio.

Portal: Como saber se uma formulação para alisamento e confiável?
William: O ideal é sempre utilizar produtos de marcas reconhecidas no mercado e que são certificadas pela ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Portal: Quais são as opções de tratamentos para diminuir o volume dos fios?
William: Relaxamentos, defrisagem, amaciamento, escova francesa e escova definitiva (recondicionamento térmico).

Portal: Quais os cuidados que devem ser tomados ao fazer alisamento em uma cliente que fez este tratamento em outro salão ou alisou em casa?
William: Quando for aplicar a primeira vez, a pessoa tem que saber qual o princípio ativo será usado em seu cabelo e guardar essa informação para comunicar a outro profissional no futuro. Para quem já fez em outro salão ou em casa, é importante fazer o teste de mecha para saber se o princípio ativo é compatível com que a pessoa já tem no cabelo. Se realizar o teste da mecha e os fios começarem a se romper é sinal que o produto não é indicado para este tipo de cabelo. Se a cliente ou o cabeleireiro persistir na aplicação, as conseqüências serão desagradáveis.

Portal: Em quais situações os fios podem cair ou partir durante um
alisamento?
William: Quando ocorre um choque químico, porque as químicas não são compatíveis. No caso do tioglicolato, se a aplicação for realizada no sentido contrário ao do crescimento do fio pode acontecer o rompimento ou se criar uma espécie de vinco no fio, que mais tarde pode vir a se partir.

Portal: Existe alguma técnica que pode alisar a raiz e deixar as pontas cacheadas?
William: Com a escova francesa, que é a base de tioglicolato, se consegue uma boa redução de volume, mas a permanência dos cachos nas pontas vai depender da forma natural do cabelo.

Portal: Se a pessoa deseja alisar e colorir, qual dos procedimentos deve ser feito primeiro?
William: Sempre alisar primeiro e colorir depois. Se a técnica aplicada é à base de tioglicolato, pode-se tonalizar no mesmo dia do alisamento.

Portal: Quais produtos devem ser usados no dia a dia para cuidar dos
cabelos alisados?
William: Usar uma linha reconstrutora para cabelos quimicamente tratados, que pode ser conciliada com uma linha hidratante para proporcionar maior emoliência aos cabelos e, assim, contrabalançar a rigidez que o reconstrutor deixa no fio.

Serviço
Pedro Paulo Cabeleireiros
Rua Carlos Góis, 234 - Lj D - Leblon - RJ/RJ - (21) 2239-4649
www.salaopedropaulo.com.br