AdolescenteJá reparou que a cada dia os salões de beleza estão mais cheios de meninas cada vez mais novas? Parece que a tal vaidade tem sido descoberta mais cedo pelas adolescentes e até crianças. E, embora elas sejam um excelente público e garantia de aumento na clientela, convém tomar certos cuidados quando elas entrarem no seu empreendimento implorando por uma mudança radical no visual. Tratamentos capilares, colorações e transformações devem ser avaliados e feitos com o máximo de cuidado. Entrevistamos a terapeuta capilar Lilian Souza que falou mais sobre o assunto. Confira!

Portal Cabeleireiros.com: Qual é a diferença entre os produtos para cabelos infantis e de adultos? Existe mesmo essa diferença?

Lilian Souza: Existe sim uma diferença na composição. Os xampus, por exemplo, destinam-se à limpeza e não podem ser irritantes ao couro cabeludo e aos olhos das crianças. Por isso, o seu pH deve estar entre 7,0 e 8,5. Já para adultos, o pH do xampu fica em torno de 5,0.

Portal: A partir de que idade as crianças podem usar xampus e condicionadores de adultos?

Lilian: A partir de oito anos já se pode mudar alguns produtos de manutenção dos cabelos infantis. Porém, o ideal é começar com o uso de xampus para cabelos normais, pois os fios ainda estão totalmente selados, não havendo necessidade de substâncias mais fortes.

Portal: A partir de que idade as crianças podem usar química e/ou colorir os cabelos? Quais as consequências quando isso é feito antes do tempo?

Lilian: Os processos químicos e as colorações em cabelos infantis podem ser feitos a partir dos dez anos de idade. No entanto, este é um processo que exige muita cautela. Há casos em que efetuamos alguns procedimentos químicos em crianças mais jovens, mas será necessária uma análise rigorosa que varia de acordo com a química a ser aplicada.
Nenhum procedimento, quando feito em cabelos infantis, deve ser aplicado da mesma maneira que em fios adultos, independente do uso de químicas ou colorações. É preciso considerar diversos fatores como textura dos fios, quantidade de cabelos e cuidados que se tem em casa, além de uma boa proteção ao couro cabeludo.
Se algum procedimento for feito de forma precipitada, as consequências poderão ser desastrosas, tanto para os cabelos quanto para a saúde das crianças.

Portal:
Muitas crianças, em sua maioria meninas, escovam e prancham os cabelos, isso pode prejudicar o crescimento capilar ou ter alguma conseqüência futura?

Lilian: No crescimento capilar não altera muita coisa, porém causa enorme dano aos fios. Há meninas que prancham os cabelos todos os dias, isso causa um ressecamento na fibra capilar devido à perda diária de água com o excesso de calor. Nestes casos, o mais indicado é que haja uma reposição quinzenal ou mensal de nutrientes através de hidratações.

Portal: Que procedimentos capilares utilizados em crianças de forma errada podem prejudicar de forma definitiva os cabelos?

Lilian: Modificações bruscas de textura que ocorrem devido a alisamentos e excesso de luzes ou colorações. Há adolescentes que mudam a cor dos fios constantemente em um curto espaço de tempo, o que pode causar muitos danos se não forem utilizados os tratamentos corretos.

Portal: É verdade que, uma vez alterada a estrutura dos cabelos através de químicas e colorações, os cabelos nunca mais voltarão a crescer com a mesma estrutura?

Lilian: Há um mito muito grande quanto a isso, já ouvi muitas histórias do tipo: “quando pequena minha mãe mandou cortar meus cabelos bem curtinho e nunca mais nasceu do mesmo jeito”. Na verdade os cabelos mudam conforme a idade. Do nascimento à maturidade acontecem transformações capilares. Quando nascemos, temos uma pelagem mais fina e macia. Após alguns meses de vida, os fios caem e nascem lisos ou cacheados, sempre lindos e brilhantes. Depois desta fase, cresce definitivamente crespo ou liso. Na idade adulta também há uma mudança, fora a perda de fios que temos durante todo esse tempo, o que é totalmente normal.