Camila Cerdeira é engenheira química
Camila Cerdeira é engenheira química

Para melhor entender os componentes utilizados na indústria cosmética para tratamento dos cabelos, precisamos conhecer a estrutura dos fios, sua composição e os fatores que influenciam diretamente na qualidade dos cosméticos e, por conseqüência, na saúde dos cabelos.

Nosso objetivo é manter os profissionais de beleza atualizados e dividir todas as informações que obtemos através de estudos e fornecedores. Com a informação, certamente teremos consumidores mais exigentes e ao mesmo tempo, produtos e serviços com real qualidade.

Geralmente, nos consumidores procuramos resultados imediatos, a busca mais comum são cabelos macios e brilhantes. Mas não podemos esquecer que a busca por cabelos saudáveis esta além de maciez. Cabelos totalmente agredidos (externa e internamente), após exposição extrema ao sol, cloro, sal do mar, vento e processos químicos. Diariamente nossos fios sofrem danos que afetam suas propriedades mecânicas, físicas e estéticas. A radiação UVB foto degrada (agride) as ligações de enxofre provocando a perda de um dos principais aminoácidos da estrutura dos fios, a cistina, tornando os cabelos fracos, quebradiços, ou seja, danificados!

Hidratantes poderosos são importantes, mas nunca devemos esquecer a reposição de proteínas, pois só ela é capaz de repor a perda de cistina causada pela exposição UVB e assim, realmente, reconstruir os fios. Portanto, existem duas palavras muito conhecidas por nós, profissionais de beleza, e importantes neste momento pós-verão, que são: Queratina - os blocos construtores da estrutura interna dos seus cabelos, sua essência - e Peso Molecular.

Existem muitos tipos de proteínas, mas a queratina é fundamental e a mais completa, pois possui a mesma composição de aminoácidos que seus cabelos perderam ao serem danificados, com poder de devolver força e saúde aos fios.

Produtos com queratina, como shampoos e condicionadores, podem ser usados diariamente, mas é importante utilizar uma ou duas por semana, entre seu shampoo e condicionador diário um reconstrutor para alta reposição de queratina.

Pesos moleculares

Atualmente, após conhecermos a fundo a composição química dos cabelos, uma das palavras mais utilizadas no mercado HAIR CARE, finalmente é Peso Molecular.

Quando falamos em proteínas, falamos em reconstrução interna e externa dos fios. Assim, como saber se o produto que uso reconstrói realmente meus cabelos internamente? A resposta é: através do peso das moléculas utilizadas!
Toda vez que compramos um produto com proteínas, como trigo, leite, soja e principalmente queratina é fundamental sabermos se as moléculas utilizadas são pequenas ou grandes, ou seja, se possuem baixo ou alto peso molecular, pois se tiverem baixo peso, conseguem penetrar na fibra e tratá-la internamente. Caso contrário terá apenas um tratamento superficial!

Por que isto é tão importante?

Proteínas são moléculas imensas e se não forem hidrolisadas (popularmente quebradas), não terão poder de reconstruir internamente os fios, portanto agirão como um papel de parede e a estrutura interna estará oca, vazia!

No caso das progressivas

No tratamento de fios pós escova progressiva, a palavra Peso Molecular ganha ainda mais força. Os efeitos deste conhecido processo com formol (que de oito a cada 10 mulheres fizeram no último ano), formam uma camada superficial nos fios pelo lado externo. Portanto, se o produto não possuir moléculas muito pequenas ( baixo peso molecular), seu tratamento não será eficaz após a escova progressiva.
Para tratar definitivamente qualquer cabelo danificado, seja por relaxamento, descoloração, coloração, escovas progressivas, o essencial é repor queratina e hidratantes. Lembrando que os hidratantes sempre agem mais superficialmente nos fios, enquanto que a queratina, que age internamente, reconstruirá os fios somente se conter baixo peso molecular. E quem deve nos informar isto é o fabricante dos produtos que utilizamos!

pH – sua real importância

Na hora de comprar um produto, nunca se esqueça que trabalhamos no mercado profissional, onde nossos produtos devem sempre possuir pH levemente ácido e não neutro.
Não existem cabelos saudáveis sem falar em balanceamento de pH ou acidificação.
Cabelos com pH desbalanceados estão alcalinos, significam estar com as cutículas abertas. Cutículas abertas fazem com que seu fio esteja desprotegido, com o córtex (parte interna do fio) exposto ao meio ambiente.
Cabelos acidificados significam selados, protegidos, além de refletirem mais a luz, ou seja, mais brilho!
O pH adequado para produtos de manutenção profissional para cabelos é entre 4.5 a 5.5, para selar gradativamente as cutículas e não agredir a camada ácida natural dos fios. Produtos neutros (pH 7) são definitivamente para as prateleiras do supermercado. 

Camila Cerdeira é engenheira química