Micropigmentação de blush

Já bastante conhecida pelas correções de sobrancelhas, contorno de lábios e dos olhos, a técnica de micropigmentação agora tem mais uma novidade: a pigmentação das bochechas. O efeito blush serve para dar aquele aspecto mais saudável ao rosto que faz toda a diferença no make-up, disfarçando a palidez e dando um ar bronzeado. Ele, ainda, possibilita um aspecto de afinamento facial e rejuvenescimento da aparência.

Novidade no Brasil, a micropigmentação de blush é indicada, principalmente, para as mulheres que já estão acostumadas a sempre salientar, com os recursos da maquiagem não-permanente, as maçãs do rosto. E o que é melhor: é rápido, em 40 minutos se faz as duas bochechas, necessitando de apenas uma sessão.

A técnica pode ser feita em qualquer tipo de pele e não dói. “Passo um anestésico no momento da aplicação que deixa o processo totalmente indolor. Além disso, a micropigmentação da bochecha é mais superficial que a da sobrancelha ou dos olhos, para que não fique carregado demais na cor”, explica a micropigmentadora Vanessa Silveira, mestra em Micropigmentação Fio a Fio 3D, diretora do Instituto Vanessa Silveira.

Como é feito

A micropigmentação consiste em um depósito de pigmentos na camada subepidérmica da pele com o auxílio de um dermógrafo e agulhas apropriadas. E, no caso do efeito blush, podem ser usados pigmentos de todos os tons. O dermopigmentador tem à sua disposição vários tons de pigmentos para alcançar um resultado natural. São inúmeras agulhas e técnicas diferentes introduzido o pigmento na segunda camada da pele.

Segundo a especialista, embora se respeite bastante o gosto da cliente, algumas dicas são importantes para não se arrepender depois. Para as peles brancas, por exemplo, Vanessa Silveira indica os tons alaranjados; para a amarela, os melhores são os tons rosados; para a morena, tons rosados e bronze; já para a negra, tons mais escuros, como bronze, alaranjados ou marrons. “Mas é tudo muito conversado entre a equipe e as clientes para que o resultado final fique do agrado delas”, conta.


O resultado final pode ser visto depois de uma semana, quando desincham totalmente as bochechas e a pigmentação clareia em torno de 40%. Assim como nos outros tipos de micropigmentação, a técnica de blush tem duração de dois anos, em média. Isso acontece porque a renovação celular constante, em função do uso de ácidos rejuvenescedores e ação dos raios solares, são fatores que contribuem para o desbotamento do pigmento. No entanto, é possível refazer a técnica após esse período. “A dica principal para que a micropigmentação de blush dure mais tempo é, sem dúvida, o uso do protetor solar. Além, claro, de é não tomar sol, nem ir à praia, piscina ou sauna durante a cicatrização”, adverte.

Respeitando o formato do rosto

E você sabia que a técnica de blush também é muito eficaz para disfarçar imperfeições? Veja como o formato do rosto influencia no momento da aplicação.

Redondo: quem tem o rosto redondo, geralmente, quer afiná-lo. Por isso, a aplicação do “blush” deve ser direcionada para boca. Se quiser afinar ainda mais, pode utilizar um pigmento mais escuro nas laterais do rosto para criar um sombreado.

Finos, Ovais e Compridos: o pigmento deve ser aplicado em direção ao nariz, nas maçãs do rosto, para dar a impressão que é mais largo e, assim, criar equilíbrio.

Quadrados: por serem mais largos, também devem ser afinados com a micropigmentação direcionada para a boca. Se o rosto quadrado for fino demais e a pessoa quiser que ele fique mais largo, o pigmento deve ser aplicado nas maçãs do rosto, na altura do nariz.

Triangulares: a aplicação indicada também é sobre as maçãs do rosto.