Como alinhar metas e dividir responsabilidades com a equipe do seu salão de beleza

Os meses de outubro e novembro, geralmente, são reservados para o planejamento das empresas. E, se você deseja que o seu salão de beleza prospere, esta é uma ótima época, também, para começar a pensar em investimentos, despesas, custos e crescimento para o próximo período. Neste processo, é fundamental incluir na agenda reuniões com a equipe, para que todos saibam para onde você quer que a empresa caminhe e o papel de cada um nesta trajetória.

“O importante é que o gestor saiba para onde quer ir, quanto pretende crescer e investir e reconheça toda sua despesa. A partir da parametrização desses dados, ele poderá criar uma meta para o salão, uma para a equipe e outra para os profissionais, todas alinhadas. Este planejamento deve ser acompanhado/revisado, pelo menos, a cada trimestre, pois o país passa por muitas mudanças, crises e precisamos estar atentos e a isso”, comenta Cristina Pontes, coach executiva e de carreira.

Para que fique mais fácil de aplicar o conceito, Cristina exemplifica. Se a meta do salão é crescer 10% em número de clientes atendidos, 8% em faturamento e reduzir os custos em 5%, a meta da equipe pode ser pensada em:

  • Ações táticas para diminuir custos usando produtos com mais consciência; e
  • Redução de gastos desnecessários desligando equipamentos quando não estão em uso.

Estas ações deverão representar, numericamente, a redução planejada ao longo dos doze meses. Já para cada um dos profissionais, a meta pode ser de:

  • Atendimento a clientes por dia ou semana já definido o número que se pretende atingir com a quantidade de profissionais atuantes no local e prevendo o crescimento estimado.

“A meta é pensada estrategicamente pelos gestores, que devem ouvir a equipe, analisar o mercado, a concorrência, o ambiente interno e externo e, depois de uma análise criteriosa, poderão compartilhar com a equipe em forma de táticas”, comenta.

Se o gestor tiver dificuldade em fazer isso sozinho, é possível recorrer a ferramentas desenvolvidas para o planejamento. Elas são fáceis de usar e orientam muito bem para onde a empresa quer ir. Algumas delas são:

  • 5W2H: metodologia de perguntas, na qual W e H são iniciais das palavras em inglês = What (o que será feito?), Who (quem fará?), When (Quando será feito?), Where (Onde será feito?), Why (Por que será feito?), How (Como será feito?), How much (quanto custará?);
  • Análise SWOT (sigla em inglês): na qual o gestor avalia oportunidades (O), Ameaças (T), Forças (S) e Fraquezas (W);
  • Matriz de mudança, que inclui perguntas como: “O que faço para manter o que gosto de fazer?”, “O que faço para transformar o que não está bom e que gosto de fazer?”, “O que faço para realçar ou implementar o que gosto de fazer e não estou fazendo?” e “O que devo eliminar que faço e não gosto de fazer”.

Como se manter no caminho certo

As metas da empresa, da equipe e a individual de cada profissional devem ser divididas em específicas (S), mensuráveis (M), atingíveis (A), relevantes (R) e com tempo (prazo) determinado (T). “Para esta análise, usa-se uma metodologia de avaliação conhecida como SMART, sigla em inglês. Sendo necessário, o planejamento pode ser alterado ao longo do ano e acompanhado com o 1º e 2º objetivos de metas”, comenta Cristina.

Superar as metas

Muitas vezes, o gestor não espera que as metas sejam simplesmente cumpridas, mas sim, superadas. Mas, neste caso, é necessário lembrar que quem ocupa esta posição precisa ser, sobretudo, ético, não se esquecendo dos valores humanos.

“A melhor forma é conhecer as competências de cada profissional para que, assim, essa substituição seja feita de forma assertiva. O profissional precisa estar satisfeito com a sua posição, mais do que isso, ele precisa saber que é importante para a empresa. Essa é a melhor motivação”, comenta Ana Paula Magosso Cavaggioni psicóloga da Clima Psicologia e Educação.

Veja 10 dicas para ser um bom gestor:

  1. Ser congruente (que faz aquilo que fala, ser exemplo);
  2. Treinar e desenvolver pessoas, para que estas estejam alinhadas com os valores e visão da empresa;
  3. Ser transparente;
  4. "Ouvir" as pessoas;
  5. Identificar os talentos e as necessidades da equipe;
  6. Administrar conflitos e ser imparcial;
  7. Conhecer profundamente o negócio que está sob sua responsabilidade;
  8. Envolver líderes e valorizar o capital humano;
  9. Atuar de forma consultiva e prevenir problemas;
  10. "Servir bem" o cliente externo, pois é ele que fará aumentar o reconhecimento da empresa.
     

Esta matéria é oferecida por:

SuperAgendador.com

Desde 2011, O SuperAgendador.com oferece a melhor solução de gestão online para salões de beleza.