Brasil será representado por 12 empresas
Brasil será representado por 12 empresas

No ano em que comemora a terceira colocação no ranking de maiores mercados consumidores de cosméticos do mundo, a indústria brasileira da beleza participa pela quarta vez consecutiva da Beautyworld Middle East, feira de beleza que acontece no Dubai International Convention and Exhibition Centre, nos Emirados Árabes, de 20 a 22 de maio.

O crescimento em dólares de 26% no consumo dos produtos do setor no mercado brasileiro em 2006, contra um crescimento estimado de 1,2% do mercado global, levou o país à terceira posição no ranking mundial. Em 2005, o Brasil já havia desbancado mercados tradicionais, como a Alemanha e a Inglaterra. Agora, com vendas no valor de US$ 18,2 bilhões (preço ao consumidor), superou também o mercado francês, perdendo apenas para o Japão e os EUA.

Em 2006, o pavilhão brasileiro na Beautyworld Middle East recebeu mais de 630 visitantes com expectativas de negócios de países como Emirados Árabes, Arábia Saudita, China, Turquia, Paquistão, Índia, Egito e EUA. Os contatos estabelecidos geraram uma quantia de US$ 10.77 milhões em negócios a serem realizados nos próximos 12 meses.

Nesta edição do evento, o Brasil será representado por 12 empresas sob coordenação da ABIHPEC (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos) e apoio da APEX-Brasil (Agência de Promoção de Exportações e Investimentos). São elas: Aroma do Campo, Bonyplus, Coferly, Condor, Extratophlora, Kanechomn, Mua Loa, Muriel, Nazca, Nunaat, Rosatex e Sther.

Seguindo a tendência que se consolidou como o grande diferencial do projeto exportador brasileiro, as empresas se apóiam no uso da rica variedade de ativos encontrados na flora do país para a fabricação de cosméticos, aliada a projetos de responsabilidade social e políticas ambientais.

“Em apenas três anos, dobramos o valor das nossas vendas externas. O crescimento das exportações em 2006 superou a média internacional, o que indica que estamos aumentando nossa participação no mercado mundial”, afirma João Carlos Basilio da Silva, presidente da ABIHPEC.