Calvície e queda de cabelos: quais as diferenças?Cabelos ressecados, mal tratados devido ao excesso de química, pontas duplas... Esses são apenas alguns dos problemas que afligem e mexem com a “cabeça” das mulheres.

Uma queixa bastante recorrente entre o público feminino é a calvície e a queda de cabelos, problemas, que de acordo com Valcinir Bedin, presidente da Sociedade Brasileira do Cabelo, devem ser diagnosticados precisamente para que o tratamento possa ser eficiente. “A queda pode ser atribuída a distúrbios hormonais, metabólicos ou nutricionais e a calvície, é causada por um problema genético e atinge mais de 25% do público feminino. Nesse caso, não há uma perda de cabelos, mas sim, um afinamento e uma falta de reposição dos fios que caem”.

Atualmente, existem medicamentos que conseguem barrar a evolução do processo, e, muitas vezes, reverter o nascimento dos fios. “Outro aspecto importante para evitar o problema, é adotar uma alimentação saudável, que influencia diretamente na saúde dos fios. Além de reposição hormonal e suplementar, sempre com orientação médica, é claro”, explica.

O tricologista é o profissional mais adequado para identificar e controlar o problema. “Aliado a isso, um hairstylist pode dar toda a orientação quanto aos produtos mais adequados, quais devem ser evitados, quais cortes valorizam àquelas que possuem pouco cabelo, etc”, ressalta.

Vilões dos cabelos

Mulheres com queda de cabelo geralmente têm um histórico de tinturas e tratamentos químicos em excesso. “Regimes muito rigorosos e alguns medicamentos também são outros vilões dos fios”, afirma o especialista.

Em contrapartida, há alguns mitos espalhados por aí sobre o assunto, que devem ser esquecidos de uma vez por todas, como:

1. Lavar os cabelos diariamente faz com que os cabelos caiam mais;
2. Usar o condicionador provoca o aumento da queda;
3. Colocar pílula anticoncepcional no xampu evita a queda;
4. Pentear 100 vezes o cabelo pode evitar a queda.