Calvície Feminina agora tem solução

A calvície tem sido motivo de desgosto e vergonha para muitas mulheres. O problema afeta uma a cada quatro mulheres no mundo e a busca de solução pode ter resultados nada agradáveis, como marcas do uso contínuo de cabelo entrelaçado e alopécia cicatricial por tração no couro cabeludo, impossibilitando  o uso de próteses. 

A novidade no mercado de estética e beleza brasileiro é o adesivamento capilar Big Hair Extension, desenvolvido pela especialista em terapia capilar Luciana Oliveira. O processo de colocação não causa dor ou traumas. “Essa técnica evita que a pessoa tenha que raspar o que sobrou de cabelo". Ela  usa uma pequena prótese no couro cabeludo afetado. Essa prótese é fixada aos fios de cabelo com fitas de adesivamento. "Fica perfeito e conforme os fios crescem são feitos novos adesivamentos. Isso tem elevado a autoestima de clientes que não encontravam saída para essa doença”, completa. 

Outro grupo de mulheres beneficiadas são as que fazem quimioterapia. “Fixamos a prótese diretamente no couro cabeludo e conforme nascem os fios inicia-se o método de adesivamento”, afirma. Quando Luciana criou esse produto sabia que seria um sucesso e por isso criou cursos gratuitos no Centro Técnico, em São Bernardo do Campo, direcionados a cabeleireiros profissionais para adquirirem a nova técnica. “Tenho recebido ligações de diversos pontos do Brasil”, afirma.

Outra vantagem do Big Hair Extension é alongar as madeixas, podendo ser aplicado em qualquer tipo de cabelo.

Sobre a técnica de adesivamento

A extensão ou prótese vem inteira e é recortada conforme o tamanho da cabeça de cada pessoa. “A colocação é rápida e o adesivamento é feito respeitando a nascente natural do fio”, conta Luciana. “Esta técnica é costurada e tem uma alta resistência ao calor. Se aquecemos o silicone, ele derrete, mas a costura não! Ela é totalmente segura, e, sua durabilidade é muito maior. A manutenção, vai depender do crescimento do cabelo”, explica.  Na hora de remover a extensão ou o alongamento é possível o reaproveitamento total do cabelo, pois, na retirada não é necessário nenhum tipo de corte ou reposição de fios, somente é feita a troca de adesivos. “O tempo de remoção do alongamento é de no máximo dez minutos e a aplicação entre 15 minutos  a meia hora", diz 

Sobre a Alopécia cicatricial

A doença é causada pelo uso contínuo de outros métodos de alongamento capilar.  O resultado é uma lesão dentro do bulbo capilar e uma quelóide. Isso faz com que haja estreitamento do bulbo até se fechar, impedindo o crescimento de novos  fios.  "Isso explica o porquê de mulheres sem cabelo na região frontal, onde os fios são mais frágeis e sensíveis".

Mais informações:
(11) 4224-3204