65º Encontro Anual da Academia Americana de Dermatologia

A dermatologista Dra. Ana Lúcia Récio esteve presente no 65º Encontro Anual da Academia Americana de Dermatologia (AAD), realizado entre os dias 2 e 6 de fevereiro de 2007, em Washington, DC, EUA. O evento contou com a presença de renomados profissionais da dermatologia mundial e teve como abordagem as principais tendências e inovações da área dermatológica, que aposta em tratamentos cosmiátricos com ótimos resultados e minimamente invasivos.

A grande novidade do congresso foi o tratamento do câncer causado pelo Sol e lesões pré-malignas com o laser combinado a um fotosensibilizante, que recebe o nome de Terapia Fotodinâmica (TFD), aprovado pelo FDA (Food and Drugs Administration), órgão regulador americano. Possibilita também a melhora do aspecto da pele em termos de viço, brilho e reparo de acne na fase inflamatória.

A pele envelhecida também foi amplamente discutida pelo conceituado cirurgião cosmiátrico americano, Dr. Michael S. Kaminer, que falou sobre o melhor aspecto cutâneo facial através de tratamentos não agressivos. Kaminer acredita que os dermatologistas possuem melhor compreensão sobre o processo de envelhecimento da pele e combinam diversos procedimentos “simples”, cujos resultados se aproximam de uma cirurgia tradicional.

Como exemplo, utilizou-se a radiofreqüência, que há cinco anos no Brasil, trata a pele da face sem cirurgia e demonstra melhorias visíveis e comprovadas, com maior durabilidade e obtidas em pouco tempo de tratamento. A inovação vem através da ponteira, que remodelada, não requer mais o uso de anestésico, além de poder ser utilizada em flacidez abdominal e pernas.

Já a radiofreqüência associada ao laser infravermelho, que trata a flacidez corporal, foi debatida com uma visão atual e com imensa relevância, em vista da sua complexidade.
Kaminer afirma ainda que o sucesso da maioria dos procedimentos depende do grau de conhecimento do médico e enfatiza que os pacientes também são responsáveis pelo êxito do tratamento, sendo necessário que estes façam suas lições de casa bem feitas antes de se submeterem a qualquer procedimento cosmiátrico. Lembra que o tempo de tratamento da pele com procedimentos minimamente invasivos, aliados à tecnologia, varia entre 6 e 18 meses.

“O Congresso enfatizou a tendência da utilização de recursos de alta tecnologia, aliados aos cosmecêuticos de uso tópico; no tratamento de doenças, assim como na abordagem de rejuvenescimento cutâneo”, conclui a Dra. Ana Lúcia Recio.