Duelo de Salões realiza desafios de barbearia

Há tempos os homens deixaram de querer cortes básicos para também exigirem looks versáteis e conectados com as tendências. Por isso, o segmento de barbearia vem crescendo tanto no mundo todo, e é para os interessados neste público que programa Duelo de Salões, exibido todos os domingos pela TV Bandeirantes, dedicou sua terceira edição.

Neste domingo, Thiago Monteiro (SP), João Paulo Martins (Santa Bárbara D'Oeste), Luiz Alberto Feijó (SP) e Murilo Pastore (SP) participaram de desafios que exigiram criatividade e conhecimento das tendências da moda hair masculina. Os quatro tiveram que mostrar quem tinha a navalha mais precisa para ganhar a tesoura dourada, que dá direito a uma reforma completa da barbearia.

Duelo de Salões realiza desafios de barbearia

Primeiro duelo: razor fade

O primeiro duelo exigiu dos participantes o conhecimento da técnica razor fade, que consiste na distribuição suavizada de luz e sombra, na qual não é possível visualizar linhas marcadas no corte feito à máquina devido o efeito esfumado. Para aumentar o grau de dificuldade do desafio, a parte de cima dos cabelos precisava ser finalizada com a tesoura.

No duelo entre Luiz e João, o primeiro barbeiro sentiu a pressão psicológica do programa e realizou um corte sem continuidade, com marcação precisa na qual não foi entregue o degradê exigido. Já João errou na gradação ao usar a tesoura e a falta de continuidade do trabalho entregue lhe rendeu a saída do programa.

No outro duelo, o barbeiro Murilo mostrou que entendeu o desafio, e entregou um corte com degradê, no qual foi possível observar o efeito esfumado. O profissional mostrou destreza e conhecimento de técnicas de barbearia ao usar a máquina de acabamento em duas posições, subindo e descendo, com a mesma altura de lâmina. Seu oponente, Thiago, perdeu o duelo por ter uma dificuldade a mais: seu modelo tinha um cabelo com textura e densidade natural mais difíceis, e ele pecou ao trabalhar a texturização do topo. Faltou leveza e caprichar em uma divisão mais limpa, para conseguir um efeito final distribuído e harmonioso.

Segundo desafio: penteados masculinos

Douglas Baptista, coordenador técnico-pedagógico do Instituto Embelleze, anunciou que segundo desafio era desenvolver um corte versátil e prático, que tivesse comprimento suficiente para poder ser finalizado de, no mínimo, três maneiras. Para isso, os barbeiros tinham 40 minutos.

João optou por um corte social clássico, que poderia ser estilizado com franja lateral, topete para trás feito com secador ou pomada efeito teia ou mate ou, então, a franja jogada para frente. Apesar de terem elogiado o conceito do corte, os jurados acharam que o profissional pecou na criatividade nos penteados.

Já Murilo arrasou no trabalho. Primeiro, ele estilizou seu corte com mechas kif, bem texturizadas, separadas e altas. Depois, utilizou a técnica do razor part, delimitando uma risca nos cabelos e levando-os para um dos lados da cabeça, texturizando os fios e mantendo o topete. Por fim, realizou o penteado pompadour, caracterizado por laterais baixas e penteadas para trás e volume no topo da cabeça, estilo Elvis Presley.

Além de ganhar a reforma do salão, Murilo terá um dia de aperfeiçoamento no Instituto Embelleze. No próximo episódio, será mostrada sua nova barbearia e, caso você queira detalhes deste prêmio, pode acompanhar os bastidores no Blog da Barba.
 

Assista ao 3º Episódio na Íntegra

Esta matéria é oferecida por:

SuperAgendador.com

Desde 2011, O SuperAgendador.com oferece a melhor solução de gestão online para salões de beleza.