Lu Alckmin quer levar cursos de beleza gratuitos para 645 municípios de SP

A primeira-dama do Estado de São Paulo e presidente do Fundo Social de Solidariedade (FUSSESP), Lu Alckmin, compareceu esta terça-feira (10) ao último dia da Beauty Fair, feira internacional de beleza profissional, acompanhada de cerca de 300 alunos da Escola de Beleza, projeto do governo para formação e qualificação de profissionais de salões de beleza.

A visita de Lu Alckmin é significativa já que o projeto social foi fundado nos pavilhões da feira e hoje completa dois anos. Com sede no parque da Água Branca, o curso será expandido agora com a criação de polos regionais em 28 cidades do interior do Estado, além de mais 28 na capital.

"O projeto foi um sucesso tão grande que as presidentes do Fundos Sociais municipais do interior pediram que eu levasse o projeto também para lá", afirmou a primeira-dama. "Queremos levar a Escola de Beleza aos 645 municípios do Estado". Dos 28 novos polos regionais, 14 já foram inaugurados no interior e dois na capital, com forte procura da população pelas novas vagas.

Segundo Lu Alckmin, há filas de espera de mais de cem pessoas em cada município do interior. Os novos polos oferecerão quatro cursos gratuitos de capacitação aos alunos: manicure e pedicure; assistente de cabeleireiro, maquiador; e depilação e design de sobrancelhas.

Como funciona

O projeto tem o apoio de equipamentos e material didático e profissional das marcas Ikesaki e Vult. A duração dos cursos é de dois meses, com 80 horas de aulas práticas e teóricas. Podem participar apenas maiores de 18 anos, sem escolaridade mínima. "Estes polos são para capacitar a população da cidade", observa Lu.

Segundo ela, as cidades do entorno que quiserem receber uma Escola de Beleza deverão escolher um profissional local para fazer um curso de cinco dias em São Paulo e tornar-se um professor. "Toda escola de qualificação profissional, que inclui escola de moda, beleza, construção civil e padaria artesanal, foca nas pessoas desempregadas. Qualquer pessoa é capaz de se qualificar conosco. Estamos transformando estas pessoas, porque quando chegam ao curso, elas pensam que não são capazes", contou a primeira-dama.

Os desempregados, alunos do curso, que não recebem nenhum auxílio do governo, podem ter um benefício de R$ 420 do Fundo Social durante os dois meses de aulas. A estrutura geral das Escolas de Beleza, como espaço, professores, equipamentos e recursos para compra de insumos, é mantida pelos Fundos Sociais municipais e estadual. Elogiada e popular entre os alunos, a primeira-dama faz questão de acompanhar de perto o desenvolvimento de cada turma nova e a importância de levá-los a uma feira de profissionais como a Beauty Fair.

"É a oportunidade dos alunos de ter conhecimento e abrir os horizontes", comentou. Depois de entregar os diplomas pessoalmente na cerimônia de formatura, Lu Alckmin destaca a facilidade dos alunos de encontrarem um emprego no mercado. "A maioria dos alunos voltam para suas comunidades e estão montando salão na garagem, fazendo serviços de casa em casa. A gente dá a vara e eles vão pescar. Cada um escolhe o seu caminho", diz. Um exemplo é Anselmo Paes de Carvalho, aluno há um mês do curso de assistente de cabeleireiro no parque da Água Branca. Único homem da sua turma, ele espera usar o diploma para garantir emprego no salão de dois amigos na Zona Norte de São Paulo.

"O mercado da beleza está crescendo no Brasil e precisa de pessoas qualificadas para usar o que está sendo comercializado na Beauty Fair. Isso gera divisas, emprego, renda, e o mais importante, resgata a autoestima destas pessoas que pensavam não conseguir nada", destaca a primeira-dama.