Saiba tudo sobre o frizz nos cabelos

O frizz é a repulsão entre um fio e outro vista a olho nú como um "arrepiado". Ele ocorre naturalmente em leve intensidade nos cabelos saudáveis, pois os cabelos tem naturalmente uma carga elétrica negativa que é suficiente para que os fios não fiquem grudados uns nos outros.

"O friz tem várias intensidades. Quando é em em excesso, é reflexo de intensa polaridade nos cabelos; já moderado, pode ser causado pelo uso de shampoos com muita química inadequada. Grave, pode ser causado por procedimentos químicos que alteram definitivamente as ligações moleculares do cabelo, como alisamentos", diz Inaê Cavalcanti Marcondes Machado, dermatologista especializada em terapia capilar.

Segundo a médica, o frizz natural, que não aparece a olho nú, deve existir, poia ajuda a mantém os cabelos soltos e com balanço. O frizz natural é obtido com bons produtos de higiene capilar.

Como tratar o frizz

Inaê explica que o frizz grave, causado por procedimentos químicos intensos como alisamentos e descolorações, só pode ser domado temporariamente: com os formadores de filme (reparadores de pontas à base de silicones e aminoácidos) ou eliminados através do corte (o grau extremo do frizz são as pontas duplas e a quebra dos fios).

O frizz moderado pode ser revertido com tratamentos de reparação da estática capilar, como cauterização, hidratação profunda e uso de pentes e escovas anti-estática e secadores com ionização.

"Cada caso deve ser avaliado por um tricologista, profissional especializado na estrutura molecular profunda dos fios. O aspecto visual pode melhorar muito com os recursos especializados em casos moderados. Antes de cortar as madeixas para eliminar o frizz é fundamental saber como esta o nascimento dos fios novos, através de consulta com um dermatologista especializado em terapia capilar, pois o problema pode estar já na produção dos cabelos (afinamento, queda e calvície), sendo o frizz, as pontas duplas e a quebra das pontas apenas uma consequência de um processo que já começou prejudicado", comenta Inaê.