Matéria-prima natural, livre de agrotóxicos, seguro e sem reações alérgicas. Produtos de higiene pessoal e maquiagem com estas especificações já estão disponíveis no mercado, e o Brasil tem mostrado grande potencial para se tornar um grande produtor deste tipo de cosmético. Pensando nessas tendências, o portal Cabeleireiros.com participou ontem, dia 28 de setembro, do  Seminário Internacional Tecnologia Verde em Cosméticos.

 

cosméticos verde destaque

Quão verde você quer ser?

Desde o lançamento do filme “Uma verdade Inconveniente” (An Inconvenient Truth, 2006), o mundo vem se preocupando em minimizar impactos ambientais e otimizar o que é extraído da natureza. Os próprios consumidores buscam produtos com qualidade e responsabilidade social. Coube aos fabricantes buscar alternativas como o cosmético orgânico, que possui em sua fórmula 95% de matéria-prima orgânica e cujos fabricantes são eco-friendly do início até o final da produção.

Tendência global

Gigantes dos cosméticos como L’Oréal, Clarins e Estée Lauder, de olho no crescimento de dois dígitos deste mercado na Europa, iniciaram uma série de aquisições e parcerias com empresas menores já consolidadas. A importância disso para os fabricantes brasileiros é a possibilidade de acesso a um mercado mundial estimado em US$ 10 bilhões em 2010, segundo projeções da consultoria Organic Monitor.

Certificações

Para esses produtos serem comercializados no exterior, é necessária uma certificação dada através de selos (USDA organic, NaTrue e COSMOS) , concedidos por organizações locais e privadas que se preocupam em manter um alto padrão de segurança para ingredientes e cosméticos naturais.

No Brasil, os cosméticos orgânicos são classificados por dois selos: o do Instituto Biodinâmico, com a certificação internacional gerando acesso aos grandes mercados de exportação, e o francês Ecocert.

E confira também:

Conheça os 10 vencedores do Concurso Cultural Super Maleta Premiada