Quando se fala em verão, um corpo com o bronzeado perfeito é a primeira imagem lembrada. Claro que exibir uma cor bonita é legal, mas não vale descuidar das madeixas enquanto curte a praia e a piscina. 

E para depois não chorar as pitangas pelo brilho e viço perdidos, nós ouvimos diversos profissionais e traçamos um guia com os principais prejuízos que as "atrações" do verão causam aos fios e como escapar deles.

Manual_de_verão

Cabelo X sol

Os raios solares enfraquecem as madeixas, desbotam a cor dos fios coloridos e os deixam e sem vida. “Produtos com bio-restore, ceramidas, manteiga de karité, lunamatrix, manteiga de Illipê e lanolina ajudam a proteger os cabelos das agressões do sol”, diz Marcelo Bellini, dermatologista e diretor da Clínica Corpo em Evidência.

Nesta época, devido as elevadas temperaturas, a produção de suor e sebo acentua-se, e isso aumenta a incidência de queda de cabelo inflamatória e dermatite seborreica, popularmente conhecida como caspa. O hairstylist Alexandre Zucker indica às suas clientes o uso de xampus à base de hamamelis, um adstringente natural, e o uso de água morna ou fria nas lavagens.

Cabelo X bronzeamento artificial

Segundo a dermatologista Cristiane Braga, as câmaras de bronzeamento prejudicam sim os cabelos, pois degradam as proteínas, tornando-os frágeis, menos resistentes e quebradiços. Neste caso, uma barreira física como uma touca é o suficiente para proteger os fios, já que nem sempre é feita a manutenção adequada das lâmpadas utilizadas.

Cabelo X mar

A água do mar é rica em sal, e outros metais. Resultado: cabelo em contato com essas substâncias fica mais poroso. Deixar de se banhar é impossível, logo, os cabeleireiros recomendam borrifar água mineral nos cabelos a cada saída do mar para retirar o excesso de sal e assim evitar o ressecamento.

Cabelo X piscina

Aqui, o maior inimigo é o cloro, responsável pelo aparecimento de pontas duplas, desidratação e aspecto endurecido. No caso dos cabelos loiros, pode ocorrer outro tipo de degradação, o temido esverdeamento. “O causador do problema é o sulfato de cobre, utilizado no tratamento das piscinas. Ele se liga à queratina do fio e provoca a reação”, explica Bellini. O leave-in é um aliado imprescindível  nesse caso, pois impede o contato do sulfato de cobre com a queratina.
 

E confira também:

Saiba mais sobre queratinização.

Serviços agregados aos salões de beleza conquistam clientela e aumentam faturamento