Tudo sobre o pior problema capilar: a calvície

Existe um nível de normalidade na queda capilar, que gira em torno de 50 a 100 fios por dia. Logo, nem toda queda é sinônimo de calvície. “A calvície caracteriza-se pela transformação do pelo grosso (cabelo normal) em penugem, ou seja, um cabelo muito fino. Os fios vão diminuindo em força, de maneira lenta e progressiva. Eles continuam no couro cabeludo, mas ficam quase imperceptíveis. Há também a causa genética. Basta a presença de um gene com predisposição à calvície vindo de um dos pais para a patologia se manifestar”, esclarece a dermatologista Maria Angélica Muricy Sanseverino.

Outros fatores também podem desencadear esse problema, como o uso excessivo ou errado de químicas capilares, o estresse, as infecções fortes ou até o consumo de alguns medicamentos. “As pílulas anticoncepcionais podem ter como efeito colateral a queda temporária de cabelo. Já a anemia - baixa quantidade hemoglobina no sangue - pode prejudicar a oxigenação do bulbo capilar, resultando na queda”. No entanto, Maria Angélica afirma que em todos esses casos o processo pode ser revertido: “todas as causas citadas têm tratamento e, sendo bem sucedido, os cabelos voltam a nascer naturalmente.”

Teste preventivo

Uma das possibilidades mais eficazes de reverter problemas como a alopecia androgenética - queda capilar intensa ao longo da vida - é o HairDx, um teste já realizado nos Estados Unidos capaz de detectar a probabilidade de desenvolvimento da doença. Este pode ser feito por homens ou mulheres com mais de 18 anos em início de perda capilar ou com histórico do problema na família.

O HairDx auxilia na detecção precoce do problema e ajuda a evitar uma perda considerável de fios antes de iniciado um tratamento. “Prevenir é a melhor forma de preservar os cabelos”, afirma Carla Albuquerque, médica membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Segundo a médica, nos homens a calvície se manifesta por meio do gene AR, que provoca mudanças na resposta do folículo capilar à diidrotesterona, alterando assim o ciclo de crescimento dos cabelos. 

Já nas mulheres o diagnóstico é diferente, pois o padrão feminino de calvície depende do número de unidades da chamada repetição CAG. “Uma contagem baixa do número de unidades CAG está associada a um risco mais alto de desenvolver calvície”.

Serviço

Clínica Muricy: www.clinicamuricy.com.br

Dra. Carla Albuquerque: www.carlaalbuquerque.com.br

E confira também:

Produtos Carita estimulam a microcirculação do couro cabeludo