Na coleção Allrical Angel, de Robert Lobetta, nota-se que os olhos são mais do que as janelas da alma. As mulheres aparecem como anjos ou até divinas, enquanto o movimento da foto sugere imprecisão e imperfeição. A profundidade dos olhos seduz, assim como o movimento dos corpos. Percebe-se então que não é necessário perfeição para que a beleza apareça no ser humano.

Os lábios femininos estão brilhantes, sugerindo o caminho para a luz ou para o que é divino. A harmonia parece imprevisível e é com isso que a coleção brinca. Para se deixar levar por esse mundo, é preciso notar que cada corpo é sinônimo de beleza e por que não, da imperfeição, que também pode ser sedutora.


Cabelos: Michael Polsinelli e Anthony Polsinelli
Fotógrafo: Robert Lobetta
Maquiagem: Peter Schell and Nichole Servin
Figurino: Ebony Cheyne e Claudia Hoffmann
Tratamento de imagem: Kay Lobetta