Conversamos com os hairstylists: Marco Antônio di Biaggi, Ivaldo Lima, Célio Faria e Charles Veiyga. Cada um analisou um segmento da moda londrina e deu sua sentença.

O hairstylist Marco Antônio de Biaggi, do salão MG Hair, de São Paulo, analisou este look que traz a releitura do chanel. 

Franjas, texturas e modernidade. Esses são os conceitos deste visual, que resgata o chanel. Biaggi destaca que o loiro-pálido, sem muito contraste de cores e com fios texturizados, é uma forte tendência na Europa e pode ser usado de diversas formas. Com uma escova rápida ele fica mais acentuado, as linhas assimétricas mais visíveis. Com pomada ou mousse ganha volume, fica moderno e ousado, indicado para ocasiões especiais. 

No entanto, as brasileiras são resistentes aos cabelos curtos. “Em 21 anos de profissão e produzindo as famosas para as principais revistas de moda, só me lembro de umas duas com cabelos curtos”, afirma. 

A mulher londrina combina com esse visual, ela tem a pele branca. No Brasil, onde a miscigenação é maior, não se pode adequá-lo a qualquer mulher. O ideal é estender o corte na altura dos ombros e aplicar uma cor mais escura, como o chocolate, e fazer mechas baunilha. “Este corte é para a mulher que tem consciência urbana, que gosta de ousar. É necessário ter atitude e condições de cuidar dos fios garantindo o aspecto do trabalho proposto pelo cabeleireiro”, frisou.