A criação do evento foi motivada pela falta de informações das profissionais, o que foi percebido pela empresa com a criação do Clube da Manicure há quatro anos. “Descobrimos que a manicure não tem informações sobre sua profissão, tanto que um dos maiores desejos da categoria é conhecer o processo de fabricação do esmalte”, falou Marina Cabral, diretora de marketing da empresa. Ela também confirmou a realização de outros eventos semelhantes em todo o país.
O Congresso abrigou várias palestras.

Esterilização: o que é correto? - a socióloga e educadora da saúde pública Dra. Sônia Maria Lagoa advertiu sobre a transmissão de doenças pelos objetos de uso no dia-a-dia e ensinou como evitar o problema, destacando que todo instrumento de trabalho deve ser higienizado.

A primeira orientação foi quanto colocação de líquidos em potes. Eles devem ser identificados e trazerem a data em que foram transferidos, pois alguns, como o álcool, tem a validade reduzida quando são retirados da embalagem original. A validade, neste caso, é de sete dias.

Os artigos de plástico devem ser lavados com água e sabão, a atividade deve ser realizada com luva de borracha e o local onde foi feita a limpeza deve ser higienizado.

Os instrumentos de metal precisam ser esterilizados na Autoclave, onde basta embalar nos plásticos próprios, ou na estufa comum, onde o controle da temperatura deve ser com termômetro de bulbo. É preciso atingir 170º graus, aguardar uma hora e desligar. Não abrir a estufa durante esse tempo. A esterilização vale somente por sete dias.

Sônia lembrou que as manicures têm direito a vacinação gratuita nos postos de saúde contra tétano e hepatite do tipo B, doenças que podem ser transmitidas durante a manicuração.

Doenças de Unhas: o que falar para a cliente? Quando alertá-la? - o dermatologista Dr. Luiz Roberto Terzian exibiu fotos de unhas com doenças diversas e pediu às manicures que orientem as clientes, com alguma anomalia, a procurar um especialista. Além do risco de contágio, a tentativa de higienização pode agravar o problema, sem contar que a descoberta de doenças na fase inicial, caso do câncer, que pode se manifestar com o surgimento de uma mancha preta na unha, tem mais chances de cura. As unhas encravadas não devem ser tratadas no salão, o problema pode ser oriundo de uma má formação dos ossos e de nada adiantará tentar corrigi-lo, o ideal é sugerir uma consulta com um podólogo.

Esmalte: Cor e Moda como tendências da estação - a criadora do Clube da Manicure, Patrícia Porta, apontou os tons de cinza, marrom e ouro como hits da estação. Todos com uma camada de brilho, que também é ponto alto do momento. O azul, bem escuro, chega com tudo. As cores das mãos e dos pés continuam diferentes. Para a primavera-verão a dica é apostar nos dourados, nos tons pastéis, nos metalizados e nas unhas decoradas, mas de forma bem delicada.

Reciclagem Profissional: como manter seu espaço prático e organizado - a professora do segmento de unhas artísticas, Márcia Castellani, destacou que a manicure deve manter os cabelos arrumados, usar maquiagem básica e ter as cutículas feitas, condição ideal para conquistar o respeito do cliente e ser bem recebida em qualquer lugar. A profissional deve usar luvas, para evitar o contágio de doenças, e máscara que protege do pó das lixas e alivia o cheiro dos esmaltes e removedores.