Couro cabeludo sensívelO couro cabeludo, apesar de estar protegido pelo cabelo, pode apresentar sensibilidade à simples ação de pentear os fios ou mesmo ao esfrega-lo durante o banho. Algumas pessoas, quando pressionam ou prendem os cabelos, sentem mais estímulos doloridos na região, bastando uma simples pressão para que o incômodo seja sentido. Tal fato é conhecido como couro cabeludo sensível.

Dr. Thiago Bianco Leal, cirurgião da restauração capilar e diretor da Vinci Hair Clinic no Brasil, conta que o couro cabeludo é considerado sensível quando já houve história de alergia ou dermatite de contato ou, nos casos em que há sensibilidade maior com frequente sensação de ardência ou vermelhidão no couro cabeludo.

Origem do couro cabeludo sensível

Entre os fatores que geram agressões no couro cabeludo fazendo com que este fique dolorido, é possível destacar queimaduras por exposição solar, principalmente nas pessoas que apresentam transparência no couro cabeludo ou calvície. “Nesses casos, o uso de bonés ou chapéus torna-se essencial”, recomenda o médico.

O excesso de oleosidade também é outro agente influenciador fazendo com que o couro cabeludo fique mais sensível e dolorido, devido à dermatite seborreica. Pessoas com procedimentos químicos, como alisamentos ou relaxamentos também chegam a apresentar maior sensibilidade, pois alguns produtos podem causar desde um processo simples de inflamação até queimaduras graves no couro cabeludo, com danos irreversíveis.

“Nos homens e mulheres mais idosos, em que o couro cabeludo é mais fino e mais seco, também há maior tendência a sensibilidade acentuada. O uso de acessórios, como capacetes, presilhas, prendedor de cabelo, tiaras, entre outros de uso frequente, também podem causar uma pressão na cabeça, tornando o local dolorido”, descreve o especialista em restauração capilar.

Tratamentos indicados

Para indicar o tratamento correto, primeiro é necessário saber qual o agente causador da sensibilidade. Isso só será possível após avaliação médica, explica Dr. Thiago Bianco.

Já no dia a dia, para amenizar a sensibilidade, ele recomenda evitar os agentes agressores presentes nos cosméticos capilares, como álcool, propilenoglicol, uso de shampoo com agentes queratolíticos, como o ácido salicílico, ativos alisantes ou relaxantes, como o formol ou o tioglicolato, por exemplo. “As substâncias pigmentantes das colorações, em contato com o couro cabeludo e água oxigenada, também causam sensibilidade e podem gerar alergias pela repetição das agressões. É importante lembrar que o couro cabeludo, assim como a pele, sempre será considerado sensível, por isso o ideal é priorizar os produtos hipoalergênicos”. 

Dr. Thiago Bianco ainda alerta: caso não ocorra um tratamento adequado, os fios poderão se enfraquecer levando a uma possível queda.

Mais recomendações

Quanto ao pentear dos fios, os pentes de madeira são mais indicados do que os de plástico. É recomendado pentear com delicadeza os fios, sem ficar friccionando ou arranhando o couro cabeludo. Para os cabelos compridos, o ideal é usar pentes de dentes mais largos, para desembaraçar sem tracionar ou quebrar os fios.

Para quem tem couro cabeludo sensível o secador muito quente pode acentuar tanto a caspa como a oleosidade. “Orientamos o paciente a evitar o uso do secador excessivamente quente, mas se precisar usá-lo, o equipamento deve estar a uma distância de cerca de 30cm do couro cabeludo. Nas pessoas com problemas muito intensos, aconselhamos usar secador na temperatura fria. Os métodos químicos e físicos de maneira geral, como alisamento, escova progressiva, chapinha, entre outros devem ser evitados porque podem acentuar o quadro de sensibilidade e da dermatite seborreica”.

Uma alimentação equilibrada, associada a hábitos saudáveis, ajuda a melhorar o organismo como um todo, inclusive na qualidade de vida dos cabelos.